Coordenação de Pesquisa

Coordenação de Projetos de Pesquisa

SOU PROFESSOR E GOSTARIA DE COORDENAR UM PROJETO DE PESQUISA DE PESQUISA NO UNIPTAN. COMO DEVO PROCEDER?

Docentes do UNIPTAN podem participar de projetos de pesquisa como voluntários ou bolsistas. As bolsas para docentes são concedidas pela própria Instituição e pagas através da Fundação Nacional de Desenvolvimento do Ensino Superior Particular – FUNADESP. Outra opção de bolsa para docentes é através do Programa Afycionados por Ciência, do Grupo Afya Educacional.

O QUE DEVO FAZER PARA CADASTRAR PROJETO DE PESQUISA COMO COORDENADOR VOLUNTÁRIO?

Para coordenar projeto de pesquisa como voluntário, o professor deve inscrever sua proposta em edital específico, enviando, por e-mail à Coordenação de Pesquisa, versão do projeto na íntegra juntamente com o “Formulário para apresentação de proposta de pesquisa”.

O edital de chamada para seleção de projetos de pesquisa é divulgado no início de cada semestre letivo e o projeto de pesquisa deve ter período de vigência de 12 (doze) meses, podendo ser prorrogado o prazo de vigência após este período, desde que seja formalizado o pedido do coordenador junto à COPPEXI.

Para se inscrever, o docente deve atender a critérios de elegibilidade, como: a) Ter titulação mínima de mestre; b) estar adimplente com a Coordenação de Pesquisa, considerando compromissos assumidos nos três últimos anos anteriores ao edital e; c) Ter vínculo empregatício com a instituição, à exceção de projetos interinstitucionais, que envolvam a participação de pesquisadores da entidade colaboradora. Para que a inscrição seja aceita, a proposta deve prever a participação de, pelo menos, um aluno de iniciação científica.

As propostas inscritas são analisadas pela Comissão de Avaliação e Acompanhamento de Pesquisa – COAPE e avaliadas quanto ao atendimento às características e exigências do Edital.

Como coordenador voluntário, o docente pode orientar alunos bolsistas e/ou voluntários de Iniciação Científica. Em ambos os casos, é necessário que o docente esteja cadastrado na Plataforma Lattes do CNPq e que assuma, junto à COPPEXI/UNIPTAN, compromisso de orientação do aluno.

O QUE DEVO FAZER PARA CONCORRER À BOLSA PARA COORDENADOR DE PROJETO DE PESQUISA?

Para concorrer à bolsa do Programa Institucional de Produtividade em Pesquisa, o docente deve se inscrever a Edital específico, publicado anualmente, em novembro, e atender aos critérios de elegibilidade: a) Possuir titulação mínima de Mestre (obtida até a data-limite para entrega da proposta à Coordenação de Pesquisa), além de produção científica ou tecnológica na área de conhecimento do projeto de pesquisa; b) Possuir Currículo Lattes atualizado e comprovantes; c)

Estar adimplente com a Coordenação de Pesquisa quanto aos compromissos assumidos nos últimos 3 anos anteriores ao edital e; d) Ter vínculo empregatício com a instituição, à exceção de projetos interinstitucionais, que envolvam a participação de pesquisadores da entidade colaboradora. Para que a inscrição seja aceita, a proposta deve prever a participação de, pelo menos, um aluno de iniciação científica.

A seleção e o julgamento das propostas inscritas são processados em diferentes etapas realizadas, inicialmente, na IES e, posteriormente, na FUNADESP. Na primeira etapa, é realizada análise interna e preliminar das propostas pela Comissão de Avaliação e Acompanhamento de Pesquisa – COAPE. As propostas são avaliadas quanto ao atendimento às características obrigatórias e às demais exigências do Edital. As propostas que atenderem às características e exigências do edital são consideradas para análise e julgamento de mérito e relevância na etapa seguinte. A etapa 2 é classificatória e consiste em análise de currículo do proponente/coordenador do projeto pela COAPE. São pontuadas publicações técnico-científicas dos último três anos, orientações de Iniciação Científica e/ou Iniciação Científica Júnior em qualquer IES, bem como participações em atividades, eventos e projetos de Pesquisa e de Extensão do UNIPTAN nesse mesmo período. Nesta etapa as propostas também são avaliadas quanto à temática abordada e tipo de pesquisa, sendo melhor pontuadas as propostas que contemplam pesquisa em interface com extensão e aquelas que abordam uma ou mais das seguintes temáticas: “Metodologias ativas de aprendizagem”, “Direitos Humanos”, “Relações étnico-raciais”, “Educação ambiental e sustentabilidade”.

A terceira etapa do processo seletivo consiste na análise do mérito e da relevância das propostas, a ser realizada por 2 (dois) professores-pesquisadores externos à Instituição, com título de doutor e/ou experiência comprovada de orientação de pesquisa na área do projeto proposto. São avaliados entre outros aspectos, os seguintes tópicos: adequação e coerência entre objetivos, metodologia, hipótese, cronograma de execução e sua contribuição para a sociedade.

Na quarta etapa, as propostas são classificadas de acordo com a média aritmética das notas obtidas na Etapa II e Etapa III. As propostas que obtêm melhor classificação são encaminhadas para análise pelo Comitê Assessor da FUNADESP, que delibera a respeito dos projetos inscritos, emitindo parecer final de a) Favorável sem restrições; b) Favorável com modificações; c) Favorável sob condições; d) Desfavorável. As propostas que recebem parecer Favorável sem restrições podem ser iniciadas conforme previsto no projeto, enquanto as propostas com parecer favorável com modificações ou sob condições necessitam ser reformuladas e reencaminhadas para reavaliação pela FUNADESP. As propostas com parecer desfavorável são desclassificadas.

Após aprovação pelo Comitê Assessor da FUNADESP, as propostas são referendadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do UNIPTAN, que emite decisão final sobre o número de quota de bolsas serão concedidos ao Programa de Produtividade em Pesquisa, observados os limites orçamentários da instituição.

O valor mensal da bolsa no Programa de Produtividade em Pesquisa é R$ 500,00 (Quinhentos reais), pago por 12 meses para os coordenadores de projeto.

Os coordenadores cujas propostas forem aprovadas na avaliação de mérito e relevância, mas não contemplados com bolsa, podem desenvolver o projeto voluntariamente, orientando aluno(s) de iniciação científica, estando submetidos às mesmas exigências e mesmos compromissos dos coordenadores bolsistas.

No Programa de Concessão de Bolsas Afycionados por Ciência as bolsas são concedidas e pagas pela Afya a pesquisadores (docentes e discentes) que tiverem projeto de pesquisa classificado dentro do número de quota de bolsas disponíveis.

O edital de chamada para projetos é publicado anualmente no primeiro semestre e para se inscrever o docente deve atender aos seguintes critérios de elegibilidade: a) Ter vínculo ativo no quadro funcional de Instituição de Ensino do Grupo Afya; b) Tempo de contratação igual ou superior a 12 meses; c) Nota igual ou superior a 4,0 na última avaliação docente.

As propostas inscritas passam, inicialmente, por análise de elegibilidade pela Coordenação de Pesquisa da IES de vínculo do docente. Posteriormente, a seleção e o julgamento das propostas inscritas são realizados por Comissão Permanente nomeada pela Direção Nacional de Ensino do Grupo Afya Educacional, sendo avaliados os seguintes critérios: a) adequação à linha de pesquisa; b) adequação metodológica; c) padronização de acordo com modelo divulgado pelo respectivo edital e aprovação pelo comitê de pesquisa; d) originalidade e inovação; e) relevância para o desenvolvimento científico e/ou tecnológico da região e do país; f) relação entre a infraestrutura disponível e os recursos humanos envolvidos na proposta; g) considerações éticas; h) qualificação do pesquisador e da equipe; i) coerência do perfil dos pesquisadores com a área temática da proposta de pesquisa; j) articulação para a formação de recursos humanos nos diversos níveis; k) contribuição para a superação das disparidades regionais.

O valor da bolsa para docente contemplado no programa é de R$ 1.000,00 (Um mil Reais) mensais, pago durante 10 meses.